Justiça prorroga prisão de 11 investigados na operação "Famintos"



A 4ª Vara da Justiça Federal em Campina Grande prorrogou por mais cinco dias a prisão de 11 investigados na Operação Famintos, que apura desvios na merenda escolar e fraudes em licitações em Campina Grande. Nove deles permanecerão em prisão temporária. Já a secretária de Educação da cidade, Iolanda Barbosa, e a pregoeira da prefeitura Gabriela Coutinho, que cumprem prisão domiciliar por determinação de uma decisão do TRF5º, também deverão permanecer por mais cinco dias sem poder sair de casa. Os pedidos de prorrogação foram feitos pelo Ministério Público Federal (MPF).

Os investigados que tiveram a prisão temporária prorrogada foram: o presidente afastado da Comissão de Licitação, Helder Giuseppe Casulo de Araújo; assim como os empresários Flávio Souza Maia, Frederico de Brito Lira, Luiz Carlos Ferreira de Brito Lira, Marco Antonio Querino da Silva, Severino Roberto Maia de Miranda, Frederico de Brito Lira, José Lucildo da Silva, Kátia Suência Macedo Maia. Os prazos das prisões temporárias terminariam ontem.

Foram liberados três investigados: Arnóbio Joaquim Domingos da Silva, Renato Faustino da Silva e Rosildo de Lima Silva. Um outro investigado permanece foragido.

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA