Rebelião no Presídio em Patos encerra após revindicações dos detentos com o MP

 
Após algumas horas de muito barulho, focos de incêndio, e negociação, terminou a rebelião no Presídio Romero Nóbrega de Patos. Segundo informações obtidas  após algumas reuniões coordenadas pelo Promotor Uirassu de Melo Medeiros, da Vara das Execuções Penais, os presos decidiram encerrar o movimento.
Entre as reivindicações, esteve melhora na alimentação (eles denunciaram que foi diminuído o volume do alimento). Outra reclamação diz respeito a um suposto excesso na revista íntima por parte dos agentes penitenciários. Esse caso deve ser investigado, segundo o promotor.
Os membros da OAB, que desde cedo estiveram presentes no Presídio, não participaram das negociações.
Há informações de que um rastro de destruição ficou no presídio. Colchões foram queimados, a sala de educação acabou praticamente destruída, dentre outras avarias.

ATUALIZAÇÃO:
Segundo informações repassadas à Redação do Patosonline.com pelo Presidente da OAB Subseção Patos, advogado Fred Igor, a Ordem esteve presente desde os primeiros momentos da rebelião. Segundo ele, os advogados passaram em todas as celas dos presos, inclusive anotando as reivindicações.
Veja o comunicado:    
A OAB desde o início da rebelião, dentro de seu limite de atuação, esteve presente com sua direção, comissão de direitos humanos e prerrogativas. Buscando através do diálogo com a direção do presídio, agentes penitenciários e PM, para encerrar a rebelião de forma pacífica e resguardando vidas. Somente nos retiramos do presídio após a confirmação do fim da rebelião.
E os advogados foram de cela em cela no final.
Eles que anotaram as reivindicações.


Patosonline.com

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA