Sargento acusado de matar um homem por causa de som alto se apresenta a polícia e permanece preso

 

O sargento da Polícia Militar José Anchieta Dantas, suspeito de matar um homem e ferir uma mulher após uma discussão por causa de um som alto em uma festa na cidade de Cajazeiras, no Sertão paraibano, foi preso após se apresentar à polícia na segunda-feira (24). O crime aconteceu na manhã do domingo (23) e um vídeo de uma câmera de segurança mostra o momento em que o PM sacou a arma para atirar. 

De acordo com a Polícia Civil, o policial estava em casa e teria se incomodado com o barulho de uma comemoração que acontecia na vizinhança. Irritado, o sargento foi até o local para pedir que o volume do som fosse diminuído.
Conforme as imagens, o crime aconteceu às 9h50 (horário local) do domingo. A vítima que morreu, Antônio Ramalho (sem camisa), aparece discutindo com o sargento, que está vestido de vermelho em uma moto. A vítima sai do local sendo levada pela sobrinha quando, segundos depois, o policial sai da moto, saca a arma e vai até os dois. Fora de cena, ele atira contra tio e sobrinha e em seguida volta até a moto.

De acordo com o delegado Danilo Charbel, após ouvir a sobrinha de Antônio e outros familiares, e com base nos exames feitos nas vítimas, a polícia pediu a prisão preventiva do sargento.
“O policial, juntamente com a arma que se encontrava com ele, que pertence à PM, um revólver calibre 38 com cinco munições intactas, se apresentou perante o superior hierárquico dele, o coronel Guedes, que nos comunicou sobre a apresentação espontânea. Houve o decreto do Poder Judiciário da prisão preventiva e no mesmo momento, ele foi preso e interrogado”, explicou o delegado.

Antônio Ramalho chegou a ser socorrido para o Hospital Regional de Cajazeiras, onde passou por reanimação, mas morreu minutos depois. A sobrinha dele foi atingida por um tiro no ombro, passou por cirurgia e foi liberada.

Patos Verdade 

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA