SAMU de Patos em crise: Ambulâncias quebradas, falta funcionários na limpeza e na regulação


Os funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) estão vivendo em uma situação muito complicada para atender a demanda das chamadas de urgência e para estarem na própria sede do órgão, localizada na Rua Lima Campos, Bairro São Sebastião, em Patos.
Com ambulâncias quebradas, auxiliares de serviço demitidos, falta de convocação dos demais aprovados no processo seletivo para Técnico Auxiliar de Regulação Médica (TARM), além de problemas estruturais e de falta de pagamento de plantões extras, o caos está se instalando no órgão.
Por determinação da direção do SAMU/Patos, uma ambulância do tipo Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a chamada Unidade de Suporte Avançado (USA), foi transformada em
Unidade de Suporte Básico (USB). O fato se deu tendo em vista que várias ambulâncias quebraram por problemas mecânicos e de desgaste. No domingo, dia 21, apenas uma viatura atendia a cidade de Patos.
Desde o decreto do prefeito Dinaldinho Wanderley (PSDB) que determinou a demissão de todos os funcionários contratados, o SAMU vinha funcionando com trabalho voluntário destes mesmos trabalhadores, pois muitos acreditavam na renovação dos seus contratos, no entanto, na última quinta-feira, dia 18, os trabalhadores foram avisados que não iriam receber e foram comunicados da dispensa. Desde então, falta limpeza. O básico dos serviços vem sendo feito pelos demais servidores do SAMU/Patos.
Na questão dos TARM, o número de funcionários aprovados no processo seletivo para assumir a função não foi suficiente para preencher a escala. Como a Secretaria de Saúde do Município de Patos não pagou o plantão extra dos servidores, eles não quiseram trabalhar sem receber. A vacância nas escalas tem sido suprida por pessoas alheias a função e gerando problemas na Central de Regulação Médica.
Em contato com a secretária de Saúde do Município de Patos, Dra. Andressa Lopes, a reportagem foi informada que os problemas estão sendo solucionados de forma célere e que em breve o serviço terá sua normalidade.

Josivan Antero

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA