Direção da Cagepa explica as constantes faltas d'água



Estouramentos da adutora, quebra de equipamentos que compreendem o Complexo Coremas/Sabugí e falta de energia elétrica são as principais causas relacionadas pelo gerente Regional de Cagepa de Patos, Maciel Damascena, para as constantes falta de água em Patos e nos demais municípios que são abastecidos pela adutora, cerca de 22.

Segundo ele, os problemas vêm ocorrendo com mais frequência desde o dia 13 de agosto e a Companhia ainda não sabe o que de fato está acontecendo para ocorrência de tantas interrupções. “Uma das causas se deve a ação criminosa de vândalos que estão furtando água em diversos pontos e causando estouramentos e constantes faltas de água. Mas as demais causas sucessivas, de fato, precisamos ainda buscar uma explicação”, disse Maciel.

Com isso, crescem também as reclamações da população que vem sofrendo com as constantes interrupções no abastecimento. Em algumas comunidades de Patos, moradores afirmam categoricamente que já falta água há 8 ou a até 15 dias.

Bairros como dos Estados, Vista da Serra, Monte Castelo, Jatobá, Jardim Guanabara, Jardim Nova Brasília, Salgadinho, dentre outros, são os mais afetados. “As comunidades mais atingidas são as que ficam em regiões mais altas, onde a água por falta de pressão maior no sistema, não consegue chegar as caixas que ficam a certa altura”, afirma Maciel.
Damacena disse que as bombas com defeito são levadas para João Pessoa devido à complexidade da mão de obra.

Outro problema relacionado pelo gerente foi que a Concessionária de Energia Elétrica Energisa também demorou bastante para atender à solicitação da CAGEPA para ser ágil na solução para que a energia fosse restabelecida na estação entre Malta e o Distrito de Santa Gertrudes, bem como na própria captação na cidade de São Bentinho.

Maciel explicou que a cidade de Patos necessita de 1.600 metros cúbicos de água por hora (m³/h), no entanto, a ofertada em média está em 1.200 (m³/h) e isto dificulta a chegada da água nas residências.

O baixo volume disponibilizado tem também haver com a queda de oferta já que o nível de água dos mananciais está muito baixo ou praticamente sem água.

De acordo com a Cagepa, a cidade de Patos e região estão sendo abastecidas quase que totalmente pela adutora Coremas-Sabugi. O Açude Jatobá secou por completo, a Barragem da Farinha só tem água para os próximos oito dias. Já Barragem da Capoeira se encontra em situação também crítica, com menos de 5 milhões de metros cúbicos

Portal 40 graus

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA