Operação Lei Seca intensifica ações no interior da Paraíba


A Operação Lei Seca vem sendo disseminada em todo Estado, nessa perspectiva de expansão, o Detran-PB trouxe para o sertão paraibano toda estrutura necessária para a uniformização das ações desenvolvidas em prol do cidadão.

Os representantes das forças de segurança da 3ª REISP – Região Integrada de Segurança Pública, estiveram reunidos no dia de hoje (31), no Quartel do Comando de Policiamento Regional II – CPR II, na cidade de patos-PB, onde foram apresentados todo material a ser utilizado durante as festividades juninas no sertão.

Ficou acertado que a partir do mês de junho de 2017, serão realizadas inicialmente ações educativas e preventivas, tendo em vista este período festivo apresenta a maior concentração de pessoas na nossa região.

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PB) inicia a Operação Lei Seca no sertão com uma campanha de fiscalização, contudo, a Operação Lei Seca tem caráter permanente dispondo de várias equipes, sempre em parceria com as policias Militar e Civil e demais forças de segurança.

As equipes envolvidas deverão atuar nos locais de grande movimentação popular em todo o sertão, principalmente nas vias de maior fluxo de veículos automotores, sempre ressaltando a parceria com as entidades que oportunamente já atuam no combate à alcoolemia nesta região do Estado.

Com o propósito de oferecer mais segurança aos agentes envolvidos na operação Lei Seca foi realizada no Quartel do Comando de Policiamento Regional II a apresentação dos kits e equipamentos que serão disponibilizados na execução do serviço, entre outros equipamentos encontram-se etilômetros (bafômetros), coletes balísticos, lombadas móveis e barreira rodoviária antifuga (cama de faquir), etc.

O Tenente Coronel Cunha Rolim Comandante Regional da Polícia Militar enfatizou que a principal causa de acidentes no período de festas típicas é a combinação entre álcool e direção, e pontuou que o alvo da Operação Lei seca é o condutor que apresentar qualquer índice de álcool por litro de ar, durante a abordagem e consequentemente atestado pelo etilômetro.

“Durante os testes os condutores que apresentarem resultados superior a 0,34mg/l, terão sua conduta tipificada como Crime de Trânsito e serão conduzidos até a Delegacia e procedido o recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Conforme pontuou o Capitão Leonides, Comandante da Companhia de Trânsito em Patos-PB.

A simples recusa já configura a infração gravíssima prevista no ART 165-A.

De acordo com os novos valores definidos pela lei 13.281/16, a multa pela recusa é mesmo da embriaguez que percorre o valor de R$ 2.934,70.

O procedimento é simples, onde o motorista do veículo é parado e os agentes de trânsito pedem para que ele apresente os documentos do carro e do condutor, enquanto o veículo é vistoriado. Neste momento, o condutor é convidado a fazer o teste de consumo de álcool utilizando o etilômetro, nome oficial do popular bafômetro.

*PM5/CPRII*

Por favor, compartilhe!

  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Wats app
  • More...

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta

Scroll to top