Previdência Rural e suas mudanças podem provocar o êxodo rural afirma vereador



Durante a audiência publica ocorrida na manhã desta quarta feira na Câmara Municipal de Santa Luzia, várias asinaturas foram colhidas no intuito de pressionar o governo federal e a previdência social, a fim de impedir que o trabalhador rural se enquadre no novo texto da reforma previdêncial.

Segundo o vereador Neto da Barra, se a nova reforma for aceita pelo o congresso, os trabalhadores serão obrigados a se aposentar com idade mínima de 65 anos de idade e serão obrigados a contribuir com o instituto da previdência, ocasionando um grande êxodo rural pondo em risco a produção rural e sua existência.

Na atual regra da aposentadoria rural, o agricultor tem direito ao benefício integral, contribuindo com o seu trabalho mediante sua documentação que comprove o exercício da profissão, em sua maioria são associados aos sindicatos rurais, órgãos responsáveis em atualizar os dados para o Ministério do Desenvolvimento Agrário do Governo Federal.

Além da pouca renda para sobreviver, a maioria dos agricultores recebem Seguro Safra e Bolsa família programas sociais do governo que não garante a sustentabilidade, apenas ameniza a situação diante o período da seca.

O evento contou com a presença do prefeito Zezé o vice Chicão, os vereadores Neto da Barra, Milton Lino, Daniel, Baita, Petronio da CDL e Rodrigo Morais. Além dos presidentes de associações rurais de sindicatos e da FETAG. e da ONG Café Cultura e representante da associação civil e religiosas.

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA