Desembargador Jóas de Brito transfere juiz que analisaria pedido de prisão de Rodolpho pela morte de agente em JP



O juiz Antônio Maroja, que analisaria o pedido de prisão preventiva do estudante Rodolpho Gonçalves Carlos, 24 anos, suspeito de atropelar e matar o agente de trânsito Diogo Nascimento, 34 anos, em uma blitz da Lei Seca, em João Pessoa, foi transferido de comarca por decisão do presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Jóas de Brito Pereira Filho.

Conforme portaria assinada pelo desembargador, o juiz Maroja passa a responder pela 1ª Vara Mista da Comarca de Bayeux, na Região Metropolitana de João Pessoa, a partir dessa quinta-feira (2). Com a decisão, o juiz deverá se ausentar da presidência interina do 1º Tribunal do Júri da Capital, e não julgará o pedido de prisão contra Rodolpho, que foi representado pela Delegacia de Homicídios de João Pessoa e teve o parecer favorável do Ministério Público, que também apresentou denúncia por homicídio doloso contra o motorista do Porshe.

O desembargador Joás de Brito tomou posse nesta quarta-feira (1º), como presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB), para um mandato de dois anos. O evento bastante prestigiado por marcado por protesto dos agentes de trânsito, que usando cartazes, pediram justiça pela morte do colega.

paraibaja

Por favor, compartilhe!

  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Wats app
  • More...

Nenhum comentário :

Deixe uma resposta

Scroll to top