Em Santa Luzia Gestão quer reduzir salários de nível superior



Servidores muncipais da saúde, em Santa Luzia, estiveram reunidos nesta quarta-feira, 18, para discutir sobre o corte de uma gratificação implantada na gestão anterior e que o atual gestor, Zezé do PMDB, vai retirar alegando que tem contas a pagar deixadas pelo antigo gestor, Ademir Morais (DEM).

Com esta medida, os servidores de nível superior se equiparam aos de nível médio/técnico com salário líquido de R$ 890,00. Um exemplo citado pelos servidores é de quem um auxiliar de saúde bucal (ASB), em Patos, ganha melhor que um dentista em Santa Luzia. Além desses profissionais do nível superior, os técnicos de saúde bucal e técnicos de enfermagem também foram prejudicados.

A insalubridade que desde antes já existia no estatuto do servidor municipal nunca foi aplicada aos servidores, apenas os agentes de endemias que tinham
esse privilégio.

"O interessante é que os recursos da saúde provenientes do FNS (FUndo Nacional de Saúde) são repassados pelo governo federal para tal fim, mas, que parece-nos ter outros destinos já que os servidores sabem quanto de recurso entra nos cofres públicos e não chegam até estes nem participam da aplicação dos recursos... Sim! não existe contrapartida da prefeitura na aplicação desses recursos", informouum servidor que preferiu não se identificar.

Ainda de acordo com os servidores, a orientação jurídica que foi dada seria procurar os vereadores para tornar a gratificação permanente em aprovação na câmara e uma posterior discussão sobre melhorias salariais.

Outro ponto discutido durante a reunião foi a aplicação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica -PMAQ para que "tenhamos participação de como será rateado".

"O curioso de tudo isso é que esta conduta do atual gestor é a mesma praticada da gestão anterior, ou seja, trocou-se seis por meia dúzia", reclamou.

PATOS VERDADE

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA