Sistema Correio migra rádios de AM para FM e emissoras serão ouvidas pelo celular



A diretora executiva do Sistema Correio de Comunicação, Beatriz Ribeiro, assinou na manhã desta segunda-feira (7) o termo aditivo que promove a migração de rádios AM para FM. O empresário Roberto Cavalcanti também participou do evento realizado no Palácio do Planalto, em Brasília, com o presidente da República Michel Temer. Foram 244 emissoras de rádio AM que assinaram o termo. Além disso, uma das grandes novidades é que essas emissoras poderão ser ouvidas pelo tablet e smartphones.
inco rádios do Sistema Correio devem migrar para FM, de acordo com Beatriz Ribeiro. “Assinamos a migração da nossa primeira rádio de AM para FM. A rádio Santa Maria, em Monteiro. Teremos ainda mais quatro emissoras AM que estarão migrando para a frequência modulada (FM). Essa migração representa a melhoria de qualidade do seu sinal e a capacidade da prestação de nosso serviço de radiodifusão com a modernização para nossa programação jornalística e de entretenimento”, afirmou Beatriz Ribeiro, ao Correio Online.

A mudança é considerada histórica pelos radiodifusores. Devido ao crescimento urbano, as rádios AM vêm sofrendo com a perda de qualidade do sinal, o que leva à queda de audiência e faturamento. De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), em 2013, por meio da edição do Decreto 8.139, teve início o processo de migração das emissoras. Das 1.781 estações AM do Brasil, 1.386 solicitaram ao órgão a mudança para a faixa FM. O montante representa 77% do total das emissoras AM do país.

O próximo passo, após a assinatura dos termos aditivos, cabe às emissoras, que devem apresentar ao MCTIC o projeto técnico de instalação e solicitar à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a autorização para uso de radiofrequência. Com a liberação, os veículos já podem começar a transmitir na nova faixa.

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA