Avião da equipe Chapecoense cai e mata 76 pessoas na Colômbia


Setenta e seis pessoas morreram na queda do avião da delegação do time de futebol Chapecoense, na Colômbia. Apenas cinco pessoas sobreviveram ao acidente e estão em hospitais de cidades próximas à Medelín. A informação foi confirmada pelo general Azevedo, da polícia colombiana, que acompanhou o resgate na região de Antioquia, em local de difícil acesso. "Infelizmente, não há mais sobreviventes", afirmou o general em entrevista à radio Caracol de Medlín.



Acidentes de avião já atingiram outros times de futebol

Entre os mortos estão os jogadores pernambucanos Kempes e Cleber Santana, que atuavam pela Chapecoense. De acordo com o general Azevedo, seis pessoas foram retiradas com vida do local do acidente, mas uma morreu a caminho do hospital. Os sobreviventes são o lateral esquerdo Alan Ruschel, os goleiros Danilo Padilha e Jackson Follman, a comissária de bordo Jimena Suárez e o narrador da rádio Oeste Rafael Henzel. Os feridos estão em hospitais das cidades de Rionegro e La Ceja.

O avião, da empresa boliviana Lamia, transportava 81 pessoas, sendo 72 passageiros (48 membros do time, 21 jornalistas e três convidados) e 9 tripulantes. O avião se partiu em três ao cair na madrugada desta terça-feira, a apenas cinco minutos do aeroporto de Rionegro. O resgate dos sobreviventes foi bastante difícil, já que a região da queda é montanhosa e chovia bastante. Três equipes com trinta pessoas cada participaram das buscas, que foram suspensas temporariamente após a confirmação das 76 mortes.

Em nota oficial o aeroporto de Medelín afirma que a causa da queda foi uma falha elétrica. Informações ainda não confirmadas indicam que o piloto do avião teria entrado em contato com a torre de controle e informado que a aeronave estava sem combustível suficiente para chegar ao aeroporto.

O avião havia saído de Guarulhos, por volta das 18h de ontem, e seguiu para a cidade de Santa Cruz de La Sierra, onde fez uma parada técnica. O Chapecoense iria jogar nesta quarta-feira contra o Atlético Nacional pela final da Copa Sul-Americana. A Conmebol já adiou indefinidamente a data da final. O presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez, lamentou o acidente e está indo para Medellín acompanhar a situação.

Ocupantes do voo
A delegação da Chapecoense estava toda no voo, composta por 48 membros do time, 21 jornalistas e três convidados. O jogador Ananias, que jogou no Sport, também estava abordo do avião. Além de jogadores e equipe técnica, jornalistas integravam a comissão, como o locutor da Fox Sports Deva Pascovicci e o ex-jogador e comentarista da Fox Sports Mario Sérgio. Confira aqui a lista extraoficial, divulgada dias antes do voo. O prefeito reeleito de Chapecó, em Santa Catarina, Luciano Buligon, estava na lista de convidados divulgada pelo time antes da viagem, mas já se manifestou afirmando que está em São Paulo

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA