Bancários decidem manter greve após reunião sem acordo com a Fenaban




A reunião da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) desta terça-feira (27) terminou sem acordo, e os bancários decidiram manter a greve. Uma nova rodada de negociações foir marcada para quarta-feira (28), às 15h.

Segundo a Contraf (Confederação dos Trabalhadores do Setor Financeiro) a Fenaban, que é o braço sindical da Fenabran, que representa os bancos, propôs modelo de negociação com validade de dois anos, para 2016 e 2017.

Os bancários pedem reajuste salarial de inflação (9,62) mais aumento real de 5%. Enquanto que a Fenaban oferece aumento de 7%, mais o pagamento de um abono de R$ 3.300. Essa proposta dos bancos foi apresentada ainda no começo da greve, dia 9 de setembro, e foi considerada insuficiente pela categoria.

No ano passado a greve rende um aumento real de apenas 0,11%,

No 22º dia de greve, 13.449 agências e 36 centros administrativos tiveram as atividades paralisadas, segundo o último balanço da Contraf-CUT. É a greve mais longa já realizada pela categoria dos bancários.

Na  Paraíba a adesão à greve atinge 90,58% das agências, de acordo com balanço do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários no estado . Ainda segundo o sindicato, em todo o estado, das 138 agências existentes, 125 aderiram à greve.



Fonte:Redação

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA