Insatisfeito vereador tenta tirar programa de rádio do ar




O Vereador Cícero Bernardo Cesar de Cacimbas no interior do estado, esta semana publicou na internet, uma postagem, na qual ele afirma que o Programa Institucional da Prefeitura deste mesmo município, o “Cidade em Ação”, que vai ao AR todos os sábados, no horário das 12 às 13 horas, está com os dias contados.
O Programa serve para dar ampla divulgação aos canais de comunicação de notícias, incluindo as publicidades das ações de responsabilidade da administração, conforme a lei da transparência pública, bem como, realizar entrevistas com pessoas dos diversos movimentos populares, numa forma de cumprir com sua função social e de apoio aos projetos de interesses da coletividade.


O Cidade em Ação, já caiu no gosto das centenas de ouvintes das várias localidades que participam e interagem com os apresentadores, através dos telefones, cartas, mensagens, redes sociais, pessoalmente, onde sempre nos prestigiam com sua audiência, inclusive o referido parlamentar que sempre que precisou do espaço, foi atendido pela produção do programa.

As postagens do vereador insatisfeito, não teve a repercussão conforme almejava, pelo contrário, causou uma revolta nos seguidores e ouvintes que se revoltaram com tal atitude de tentar amordaçar a imprensa como acontecia nos tempos da Ditadura Militar. Muitas pessoas ao tomar conhecimento dos fatos, procuraram a produção para saber quais os procedimentos que a Secretaria de Comunicação irá adotar diante do enunciado.
Toda instituição deve ter seus canais de comunicação para se comunicar com a população, conforme a Lei de transparência. Ao longo dos tempos, aconteceram muitos avanços que estão amparados pela Constituição que garante a todas as pessoas a livre manifestação de pensamentos sem ter que se submeter a práticas da censura.

“Estamos agindo dentro da legalidade de acordo com a democracia que se consolida a cada dia no país, depois de muitas lutas e conquistas, o vereador sabe disso, até porque quando prestava o mesmo serviço de assessoria para eles, o grupo aprovava agora par ser o inverso, surge às insatisfações, o que é normal, pois nem Deus agradou a todos, imagina o ser humano que é limitado, ninguém é obrigado a ouvir, pode trocar de sintonia ou desligar seu aparelho”, enfatizou Olavo Silva.

“Por estarmos vivendo um período eleitoral, sabemos que a Justiça tem algumas restrições e temos que acatar, independentemente de determinadas pessoas, pois se dependesse desse povo, o Programa já estava fora do AR há muito tempo, só que sabendo de tais questões, o vereador se antecipa aos fatos para tentar chamar a atenção”, concluiu.
Olavo Silva
Patos metrópole 

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA