Diretor do Presídio de Patos fala sobre a morte de um detento




Um detendo de nome Eduardo Miguel, que foi conduzido ao presídio Romero Nóbrega em Patos, na última terça-feira (05), foi morte com golpes de espetos artesanais por alguns apenados que ficaram revoltados com a acusação de estupro sobre a vítima. O crime aconteceu durante uma rebelião que ocorreu nesta quinta-feira (08).
Segundo o diretor daquela unidade prisional, José Gomes Neto, todas as medidas de segurança foram tomadas, o apenado estava isolado, porém, como ele cometeu o crime de estupro, que é bastante rejeitado no âmbito prisional, os apenados da parte de cima se revoltaram com o crime cometido pelo acusado e, durante o banho de sol, estouraram as paredes em direção ao acusado.
“Todas as medidas foram tomadas pelos agentes penitenciários, cerca de quinze apenados foram identificados como participantes do crime, e agora vamos investigar para descobrir os culpados pelo tumulto e a morte do acusado”, disse.
Eduardo Miguel da Silva Neto (foto) de 53 anos de idade, morto durante a confusão no presídio, foi preso em flagrante no início da tarde da terça-feira (05), no conjunto dos Sapateiros acusado da prática de estupro de vulnerável. 

Patos online  

0 comentários

COMENTÁRIOS AGORA